19 de junho de 2010

Quadrilha para exportação

As manifestações artísticas embarcam em outras configurações que muitas vezes deixam de ser aquele movimento original para ser outro. Durante o Intercom, em Campina Grande (PB), uma apresentação me chamou atenção.

Apresentado como um dos mais premiados e representativos grupos de dança nordestina do Estado, os dançarinos executaram uma performance na qual os passos de raiz se caracterizavam mais como coadjuvantes dos movimentos, do que como protagonistas da sonoridades do forró.

Mas culturalmente, naturalmente, as coisas vão se (re)configurando. E nem por isso deixam de ser belas. Todavia, não se deve passar uma borracha na áurea abrigada nos rincões da originalidade artística. Não precisa enlatar tanto.

© Cecilio Bastos

© Cecilio Bastos

© Cecilio Bastos

© Cecilio Bastos

© Cecilio Bastos